Com as eleições 2020 se aproximando, vejo muita gente desinformada sobre o Partido Novo fazer comentários nas redes sociais.

Uns dizem que somos esquerdistas, outros direitistas.

O conceito de esquerda e direita não tem muito significado nos dias de hoje.

Eu sei que existe uma necessidade atávica das pessoas nos classificarem de alguma forma em seus escaninhos mentais. O que não concordo é, no caso da política, só existirem dois escaninhos: esquerda e direita. Ou três: esquerda, centro e direita.

Existe um quarto escaninho: a favor da população. Aí se enquadraria o Partido Novo. Porque apóia projetos que favorecem a população e luta contra todos aqueles que desfavorecem. Não importa de que partidos os projetos surjam – ou a ideologia que os partidos têm.

E sonhamos, sonhamos sim – eu pelo menos sonho. Com um Estado menor e mais eficiente e eficaz. Com um Estado onde o cidadão tenha mais poder para decidir o que é ou não é bom para si mesmo. Com um Estado que cumpra suas obrigações essenciais, previstas na Constituição – e não se meta em coisas que poderiam ser perfeitamente feitas pela iniciativa privada. Se isso é liberalismo, somos liberais – sou liberal, pronto.

E mais: os mandatários e candidatos do Partido Novo são todos cidadãos comuns, como eu e você. Movidos não por ideologias do passado – e sim por pura indignação com o que acontece no Brasil destes últimos anos, do presente, seja na esfera Federal, seja Estadual, seja Municipal. Não é possível suportar tanta corrupção e tanto descaso com a população.

Estamos atravessando uma das fases mais violentas do Brasil. É uma violência que não é física. É uma violência decorrente. Que mata milhões de brasileiros sem que haja vírus ou armas. Exemplos: dinheiro tirado da saúde para corrupção. Que limita a vida inteira de milhões de cidadãos por não prover educação infantil e básica adequadamente, graças ao dinheiro desviado para a corrupção. Que afeta a saúde de milhões de brasileiros por falta de saneamento básico, esgoto e água encanada, graças ao dinheiro desviado para a corrupção e ao descaso dos políticos – porque saneamento não dá votos no curto prazo.

Por isso tudo, o Partido Novo não fica nem à direita e nem à esquerda, muito pelo contrário: trabalha para os cidadãos brasileiros. E não tem um projeto de poder: seu projeto é de fazer, o melhor possível, para que a população tenha uma vida mais digna e feliz. Mais descomplicada, mais simples, pela eliminação de leis inúteis e absurdas – em paralelo com a diminuição de toda burocracia instalada. Mais rica em todos os sentidos – porque hoje o Estado cobra impostos de primeiro mundo e serve a população com qualidade de terceiro mundo.

Share This